Page optimized by WP Minify WordPress Plugin

 Adoração: Obrigação ou Obediência? | Pastor Claybom
nav-left cat-right
cat-right

Adoração: Obrigação ou Obediência?

AdorandoNo último final de semana foi o encerramento da décima quarta confraternização da união de homens da minha igreja e eles colocaram como tema o título deste post. O que foi interessante é que a maior parte dos pregadores da festa entrou em uma questão filosófica sobre este assunto. Será tão difícil assim responder a esta pergunta? Gostaria de dividir então com vocês.

Hoje nós temos, praticamente, vários tipos de cristãos. Vamos falar de alguns: o primeiro grupo é daqueles que servem ao Senhor em troca de alguma coisa. Como assim? Não entenderam? Deixa eu ser mais claro então: existe um número muuuito grande de pessoas que vão a igreja mas simplesmente para pedir! Pedem à Deus um novo emprego, sucesso no emprego atual, para passar no vestibular, para conquistar um(a) companheiro(a), uma promoção, um pagamento de uma dívida, trazer seu marido/esposa de volta, pagamento de dívidas, cura de doenças e por aí vai. E olhem que eu não citei tudo não! Peguei até leve! Aí sabem o que acontecem quando Deus não atendem suas orações? Quando não falam que estão em provação terrível da qual Deus esqueceu deles, culpam a igreja que não é abençoada e acabam saindo para ir na igreja do profeta X ou do profeta Y porque lá “Deus fala” com a congregação. Esse é o famoso “crente pipoca” pois fica pulando por ser mais interessante para ele mesmo.

O segundo grupo que eu gostaria de citar aqui são o grupo que gosto de denominar como “Maria vai com as outras”. Esse grupo é formado por dois tipos de pessoas: aqueles que não querem ficar pra trás e simplesmente imitam os que realmente adoram e aqueles que emotivos demais e se deixam influenciar pela massa que está adorando. Me lembro muito bem de uma vez que uma amiga minha que foi minha madrinha de casamento e ao ir em um culto avivado se viu no meio de um monte de pessoas chorando e ficou tocada e começou a chorar sem saber por que. Esses dois grupos não duram muito são de curta duração no seio da igreja.

O terceiro e ultimo grupo que irei focar aqui são os verdadeiros adoradores. Este grupo é formado pelos salvos e remidos de Deus que se entregam de corpo e alma ao Criador (e não ao @criador) para que o seu reino cresca na terra. mas… como reconhecer este grupo? Este grupo é formado por aqueles que, mesmo passando por problemas, sem é pre estão bem pois confiam que o Senhor cuida de tudo (2ª Reis 4:25-30); é formado por aqueles que nã desviam sua atenção de Deus em prol da sua TV, de um filme, de uma namorada – não que deixem de ver TV ou de namorar mas primeiro lugar Deus (Êxodo 34:14-17); é formado por aqueles que resistem as inúmeras tentações que o mundo oferece por que sabe que só a Ele é que devemos adorar (Mateus 4:8-11)!

Diante deste quadro, meu querido e amado irmão em Cristo, eu lhe pergunto: em qual grupo você está inserido? Deixa eu esclarecer alguns pontos:

  • É errado pedir a Deus? – Não, não é. Mas é preciso entender que a vontade de Deus é soberana em nossa vida e que devemos compreender e aceitar seus desígnios. Nem sempre aquilo que pedimos é bom para nós e Deus, mas que ninguém sabe disso, não é mesmo?
  • Não devo ser emotivo? – Por favor! Nós somos formados por emoções e estas é são que fazem de nós o que realmente somos.  O que deve acontecer é que devemos ficar ligado na palavra e não na emoção dos outros. Afinal de conta não é por que o meu vizinho do lado começa a chorar que eu vou chorar também. Pense nisso e começe a se concentrar na palavra que está sendo pregada. Você vai aprender a “peneirar” o joio do trigo e saber glorificar na hora certa e pelo motivo certo.

Mas e a grande questão, título deste post?

Sabemos que adorar a Deus e somente a Ele é um dos mandamentos citados em Êxodo e por ser um mandamento muitos o consideram como uma obrigação e, portanto, devemos obedecê-la. Mas, na minha humilde opinião, é uma questão que está acima da obrigação e da obediência. Aqueles que são salvos e tem o seu coração O louvam e o adoram. A adoração não é uma questão de dobrar os joelhos e prostar somente.  A palavra nos fala que tudo que tem folego louve ao Senhor (Salmos 150:6). Todo livro de Salmos é uma adoração e um louvor a Deus. Todas as vitórias de Davi foram precedidas ou sucedidas de muita adoração ao Deus de Israel! Minha alma louvou imensamente ao Senhor ao contemplar o nascimento da minha filha; adoro de todo o coração a Deus todo dia quando acordo pois é um dia a mais que o Senhor nos concede; quando adolescente eu ia a praia em Maricá e ficava pescando durante toda a noite e madrugada e tocava violão ao nascer do sol e contemplar as maravilhas de Deus que é todo a criação.

A adoração deve ser espontânea e deve partir da nossa alma, do nosso coração. Quando você adorá-lO assim irá transcender a obrigação e a obediência. Você passará a ter uma íntima comunhão com o Pai e muita coisa mudará em sua vida.

Faça esta proposta para sua vida e veja o que acontecerá.

Graça e Paz para todos.

Pastor Claybom



Publicado por Pastor Claybom, pai apaixonado, nerd como marca de nascimento, geek por paixão, adorador por excelência. Enfim, um servo de Deus que tenta entender tudo o que Ele nos oferece no dia a dia.



2 Comentários para “Adoração: Obrigação ou Obediência?”

  1. Valdir do Espírito Santo disse:

    Mano… Graça e Paz!
    Fiquei com inveja da “Maricá”, afora isto a sua dissertação sobre adoração é bastante interessante; neste aspecto vou continuar agradando a Deus do meu jeito, quem sabe Ele me “ache”. (rs)
    No amor de Cristo.
    Pr. Valdir

  2. Joaquim disse:

    Olá Pastor Claybom, eu conheço a sua personalidade pública através do nerdcast e do papo de gordo.

    Eu estou passando por um processo de busca de Deus, entender melhor a mim mesmo, tentar entender como viver (e conviver) melhor comigo mesmo e com o próximo.

    Eu estava em depressão havia anos, buscava mudar de várias maneiras, tomava decisões e tentava seguir. Mas lembro que numa tarde, assistindo uma pregação na tv, foi que a palavra de Deus entrou no meu coração. E como um pregador falou, a palavra de Deus foi como fogo, fogo que derreteu como cera, todas as coisas dentro de mim, que eu considerava parte de mim, coisas ruins.

    O que não consegui mudar em quase 14 anos, mudei em três meses.

    Acho que a melhor forma de adorar a Deus, é tentar vê-lo como um pai. No meu caso, que não tive um pai presente, é ver na pessoa real de Deus, o seu pai.

    Quando você pede algo ao seu pai, não se deve pedir implorando, chorando ou fazendo chantagem. Acho que nem devemos pedir, devemos mais conversar com Deus e falar de nossos problemas, buscar a orientação. Pois Ele vai providenciar, pois Ele sabe do que precisamos, antes mesmo de pedirmos.

    E devemos ter amor para com Ele.

    Uma coisa que aprendi com uma psicologa: Pai, mãe, filho, filha, marido, esposa, amigo, amiga, todos, todos podem te desapontar, você poder perder cada um deles. Mas Deus é eterno, e Ele nunca vai te abandonar, mesmo quando você é rebelde, Ele te perdoa e te ama.

    Eu já amei uma garota, ela era perfeita, foi minha melhor amiga, me colocou para cima. Era tudo para mim. Eu dizia que não havia ninguém mais importante na minha vida do que ela. Mas, ela começou a namorar outro rapaz, eu fiquei louco de ciumes, briguei com ela, e paramos de nos falar.

    O meu mundo tinha caído, fiquei deprimido, pensei em cada besteira.

    E muitas pessoas fazem isso, depositam sua fé em outras pessoas, adoram outras pessoas. Esquecem que elas são pessoas, imperfeitas, que erram como nós.

    E acho que é ai que vem a necessidade de amar a Deus em primeiro lugar, em segundo lugar deve vir o amor próprio, devemos nos amar, gostar de nós mesmo, e em terceiro(bem colado com o segundo) vem amar nossa familia, que pode incluir amigos e etc.

    Sempre que escuto letras de música, ou vejo novelas, filmes e etc, onde alguém declara “você é a razão da minha vida!”, “Sem você eu não vivo!”, penso no estrago que isso pode fazer na vida de uma pessoa que esta começando sua vida sentimental.

    Sofrer por amor é algo “bonito”, se sacrificar é algo romantico. Bobagem!

    Um exemplo engraçado é só pegar as músicas sertanejas pops, em uma o cara tá chorando pelo amor perdido, mas na seguinte ele tá mandando o seu “amor” ir ser ferrar, pois ele esta em outra.

    Eu acredito em amor HomemXMulher, amor de familia e de amigos. Mas é preciso maturidade nas relações entre pessoas.

    Acho que, quando estamos em paz com Deus e com nós mesmo, conseguimos amar melhor o próximo.

Deixe seu Comentário