Page optimized by WP Minify WordPress Plugin

 RESAR #1 – A Noite Mais Densa | Pastor Claybom
nav-left cat-right
cat-right

RESAR #1 – A Noite Mais Densa

Olá!
Sejam bem-vindos ao RESAR – Relação Entre Schias, Arte e Religião, a coluna que traz obras de arte e as analisa sob uma ótica cristã.
Você pode participar dando ideias nos comentários!

Hoje vamos falar de uma obra recentíssima no Brasil.

Quando Geoff Johns, roteirista de quadrinhos que havia se destacado por fases na Sociedade da Justiça da América e Flash, foi chamado para cuidar do Lanterna Verde, os fãs confiavam mas não sabiam o que ele poderia fazer. E a desconfiança aumentou quando Johns anunciou que ressuscitaria Hal Jordan, o Lanterna Verde mais famoso de todos. Lanterna Verde: Ressurreição trouxe Hal Jordan de volta, e a Guerra dos Aneis trouxe Sinestro criando sua própria tropa de aneis amarelos. Tudo parecia grandioso.

Até então.

Ao final da Guerra dos Aneis, é revelado que, além dos aneis amarelos e dos verdes, movidos pelo medo e pela força de vontade, respectivamente, haveriam outros: Azul (esperança), Vermelho (ira), Laranja (cobiça), Índigo (compaixão) e Rosa (amor). E que, quando eclodisse uma guerra entre estas tropas, os mortos se levantariam. Esta seria A Noite Mais Densa, uma previsão que sempre existiu na Tropa dos Lanternas Verdes. Até o lema deles diz “No Dia Mais Claro, Na Noite Mais Densa”…

Então chegou A Noite Mais Densa, obra que movimentou todo o Universo DC. Um ser que diz controlar a morte cria aneis pretos, que trazem de volta os mortos, que querem matar os vivos. Cada coração vivo arrancado aumenta o poder da bateria dos aneis pretos. Mas só são arrancados os corações daqueles que expõem uma das emoções já descritas, e as Tropas acabam se unindo quando ficam sabendo, pela líder dos Índigos, que as sete juntas formam um poder maior que derrota os Lanternas Negros.

E AGORA, A RELIGIÃO!

Certo. Peguei uma obra que muitos diriam que não tem nada a ver com religião para começar a coluna.

Eu não tinha visto a analogia feita por Johns até Índigo-1, a líder dos Índigos, surgir. Ela fala em português com os herois (inglês no original), mas sua tribo utiliza um linguajar que nem os aneis dos Lanternas Verdes conseguem traduzir. Índigo-1 aparece quando Eléktron, a beira da morte, demonstra Compaixão por seus algozes. Foi a primeira vez que um super-herói tinha demonstrado este sentimento (exceto o Superman, que tem TODAS). E Índigo-1 mostra que com seu poder e mais alguma cor já é possível eliminar ou afastar inimigos.

Por que? Porque, mais importante do que sentir amor ou esperança, é necessário sentir compaixão de nossos inimigos e sermos humildes para deixar esse sentimento aflorar em nossos corações.

Índigo-1 então fala que, no princípio, um ser superior criou a luz, e ela se dividiu em 7, gerando sete cores da cor branca (que é a soma de todas as cores). Unindo as sete, aí será possível extinguir os Lanternas Negros. Se você não sacou qual é o ser superior, alô. Deus criou a luz e dela Ele criou todos os seres, com tudo que vem junto (como… emoções). Até os cientistas concordam que tudo que enxergamos é por conta de seu reflexo da luz, então tudo é resultado desta obra Dele.

E a morte, que gera os Lanternas Negros, reflete as pessoas que vivem sem esta luz, sem enxergá-Lo, e por consequência sem sentimentos verdadeiros. Para completar, estes Lanternas Negros ficam mais fortes quando matam alguém, ou seja, quando tiram sua vida, sua capacidade de sentir qualquer coisa. E eles arrancam que órgão? O coração, que é historicamente associado com o estocamento de emoções, e este só é arrancado quando a pessoa sente algo fortemente.

Ou seja, a morte é se afastar de Deus. E só quem tem sentimentos verdadeiros pode enfrentar esta “morte”, esta não-vida.

Com o fim desta saga surge outra, O Dia Mais Claro, que complementa toda a minha teoria. Mas não vou falar disso hoje. Aguardem.



Publicado por Vinícius Schiavini, Vinícius Schiavini é podcaster, blogueiro, professor, consultor, empresário, Ministro e mais 684 profissões.



Um Comentário para “RESAR #1 – A Noite Mais Densa”

  1. klayton disse:

    muito boa a sua analisew sinal que tem outro com o mesmo pensamento que o meu,uma pergunta,voce ja fez analise de lost?Ja que é uma serie que a palta principal nao é a ilha e sim a fé x ciencia

Deixe seu Comentário