Page optimized by WP Minify WordPress Plugin

 RESAR #9 – Monte Castelo | Pastor Claybom
nav-left cat-right
cat-right

RESAR #9 – Monte Castelo

Olá!
Sejam bem-vindos ao RESAR – Relação Entre Schias, Arte e Religião, a coluna que traz obras de arte e as analisa sob uma ótica cristã.
Você pode participar dando ideias nos comentários!

Ah, o amor. O amor é um dos mais nobres sentimentos que o ser humano pode sentir.
Vamos falar dele hoje? Vamos usar uma das mais belas poesias de Renato Russo. Opa, é de Camões. Ih, não, é de São Paulo.
Renato Russo fala, em Monte Castelo, da importância do amor. Que não somos nada sem amor, que nada nos moveria, nos daria vida.

A Legião Urbana passava por um momento difícil. O Show no Estádio Mané Garrincha, em Brasília, terminou em confusão, e a Legião Urbana decidiu que nunca mais voltaria para sua cidade de origem. Pouco depois Renato Rocha, o baixista, saiu da banda, e até hoje é desgostoso com esse fato.
Renato Russo buscava letras mais populares com temas mais líricos, para gregos e troianos, e para promover a paz que ele mesmo tanto queria. “Agora é espírito, é Deus, é amor”, declarou.
O resultado? Grandes hits, grande turnê e o maior sucesso da Legião até o momento. Entre os hits, Monte Castelo.

Monte Castello foi o local no norte da Itália em que o exército de Hitler tentava impedir os Aliados. Esta batalha marcou a presença dos pracinhas brasileiros, a Força Expedicionária Brasileira, na Segunda Guerra.
Já Corinto é uma cidade da Grécia que surgiu na Era Neolítica (6000 antes de Cristo).

Qual a ligação entre as duas?

MAS E A RELIGIÃO?

Arrá!

Primeiro que, como o próprio Renato Russo disse, “ainda se eu falasse a língua dos homens e falasse a língua dos ANJOS, sem amor eu nada seria”, e nenhum de nós seria nada sem amor.
E, como ele diz, “é Deus, é amor”. O que dá na mesma, né? Deus é amor, e Ele ama seus filhos. E, como disse Jesus, devemos amar uns aos outros. É a base de bons relacionamentos entre nós, seres que habitam este planeta.

Mas, além de tudo, para falar sobre amor em Monte Castelo, ele recorreu a Camões. Confira o que diz seu “Soneto 11”:

Amor é um fogo que arde sem se ver,
é ferida que dói, e não se sente;
é um contentamento descontente,
é dor que desatina sem doer.

É um não querer mais que bem querer;
é um andar solitário entre a gente;
é nunca contentar se de contente;
é um cuidar que ganha em se perder.

É querer estar preso por vontade;
é servir a quem vence, o vencedor;
é ter com quem nos mata, lealdade.

Mas como causar pode seu favor
nos corações humanos amizade,
se tão contrário a si é o mesmo Amor?

Ok, é a base quase que completa da letra, mas sabe o que detona? Primeira Carta de São Paulo aos Coríntios.
Nela, Paulo, que passou pela cidade de Corinto, cujo nome em inglês gerou o nome de um famoso time brasileiro, declara:

Ainda que eu falasse as línguas dos homens e dos anjos, e não tivesse amor, seria como o metal que soa ou como o sino que tine. E ainda que tivesse o dom de profecia, e conhecesse todos os mistérios e toda a ciência, e ainda que tivesse toda a fé, de maneira tal que transportasse os montes, e não tivesse amor, nada seria. E ainda que distribuísse toda a minha fortuna para sustento dos pobres, e ainda que entregasse o meu corpo para ser queimado, e não tivesse amor, nada disso me aproveitaria. O amor é sofredor, é benigno; o amor não é invejoso; o amor não trata com leviandade, não se ensoberbece. Não se porta com indecência, não busca os seus interesses, não se irrita, não suspeita mal;
Não folga com a injustiça, mas folga com a verdade; Tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta. O amor nunca falha; mas havendo profecias, serão aniquiladas; havendo línguas, cessarão; havendo ciência, desaparecerá; Porque, em parte, conhecemos, e em parte profetizamos; Mas, quando vier o que é perfeito, então o que o é em parte será aniquilado. Quando eu era menino, falava como menino, sentia como menino, discorria como menino, mas, logo que cheguei a ser homem, acabei com as coisas de menino. Porque agora vemos por espelho em enigma, mas então veremos face a face; agora conheço em parte, mas então conhecerei como também sou conhecido.
Agora, pois, permanecem a fé, a esperança e o amor, estes três, mas o maior destes é o amor.

A base é o amor. De que vales dizer que serves a Deus se não amas isso de coração?



Publicado por Vinícius Schiavini, Vinícius Schiavini é podcaster, blogueiro, professor, consultor, empresário, Ministro e mais 684 profissões.



Deixe seu Comentário