Page optimized by WP Minify WordPress Plugin

 Mulheres na Igreja Perseguida | Pastor Claybom
nav-left cat-right
cat-right

Mulheres na Igreja Perseguida

No mês que se comemora o dia internacional das mulheres, achei de bom grado escrever alguma coisa sobre as mulheres na igreja. E o que pode ser melhor do que falar sobre mulheres que sofrem na igreja perseguida?

Eu prefiro ter  um  esposo corajoso e fiel ao Senhor,  mesmo que ele morra por amor a Jesus, a  ter  um  esposo covarde e que não esteja disposto a dar sua vida para a obra de Deus” – Pastora Luz Marino.

Nas  montanhas e selvas mais perigosas da América Latina, Deus tem usado mulheres de valor  para realizar  uma obra que muitos homens não ousam  fazer. Elas  têm pregado o evangelho aos isolados da sociedade e erguido a voz em busca de justiça e transformação em  lugares onde viver  em  Cristo  Jesus  piedosamente resulta  em perseguição e sofrimento  (cf.  2 Timóteo 3.12).

No norte da Colômbia, em um municipio conhecido como  Tierra Alta,  uma dessas mulheres tem se destacado. Luz Marino, mãe de dois filhos biológicos e  um  adotivo, tem pouco mais de 30 anos de idade. Ela  tem dedicado a sua vida, juntamente com o marido, a plantar  igrejas  nas  montanhas mais perigosas de Córdoba, um Estado muito conhecido por suas lindas praias.  A verdade é que a maioria dos turistas  nem imagina que,  a  poucos quilômetros  de onde estão, centenas de cristãos sofrem perseguição por sua fé.

Desde  pequena,  essa  irmã testemunhou   cristãos   sendo ameaçados e mortos por guerrilheiros e, posteriormente, por paramilitares. Luz sempre conviveu com o conflito armado, mas por ter nascido e sido criada na zona urbanizada de Tierra Alta, tinha muito mais liberdade que os cristãos do campo.

O que ela  não imaginava é que  iria  se apaixonar e se casar com um jovem pastor,  chamado Medardo, que tinha  um chamado muito  específico  para  plantar igrejas no campo. “Eu  me  recordo que,  antes  de  nos  casarmos, quando meu marido me pediu em casamento, ele  me  disse: ‘Eu não poderei dar a você uma vida confortável,  não  poderei  suprir multas de suas necessidades e desejos de esposa e não poderei garantir nossa segurança. Ainda assim, você quer se casar comigo?’ A minha resposta foi  sim”,contou Luz a  um irmão brasileiro  que  visitou recentemente a família.

O  mais incrível é que ela possuía  uma  alergia muito forte a  um determinado tipo de comida que é muito comum no campo, mas mesmo sabendo que viveria correndo riscos  no futuro por causa da doença e dos perigos das zonas de conflito, aceitou a proposta.  Luz nunca mais teve crise alérgica  desde  que  tomou  essa decisão. ,

Após o casamento, os dois se mudaram para a  zona rural  de Córdoba e foi ali  que as lutas começaram. Assim que plantaram a primeira igreja e os convertidoscomeçaram a se multiplicar, Luz e o esposo receberam as primeiras ameaças de morte. Os paramilitares ficaram descontentes com  as conversöes,  pois os novos  cristãos deixavam de ajudar as tropas  fornecendo  comida,  transporte  e  informaçöes.  Isso  sem dizer que quando um campesino colombiano se converte, ele pára de plantar coca e isso traz prejuizo para os grupos armados, que em  sua maioria se mantêm  através do refino e tráfico da planta.

Quando a Portas Abertas soube do caso do casal e identificou o potencial  desses jovens,  eles passaram a ser beneficiados pela organização e foram enviados a um  seminário  em  outra cidade, onde passaram cinco anos estudando teologia para se preparar e retornar para o campo. Assim que acabaram os estudos, os dois foram enviados por sua igreja outra  vez ao municipio de Tierra Alta e,  com os frutos que mais uma vez começaram a chegar, a perseguição e o sofrimento bateram novamente à porta.

Em uma  situação  específica, Medardo  foi levado por um grupo de paramilitares para ter  um  encontro com os líderes máximos da organização criminosa. Luz já  tinha tido o primeiro filho  do casal e ficou esperando o marido, orando incessantemente.   Quando chegou em  sua casa, Medardo estava tão assustado com  as ameaças e com tudo o que havia vivido e visto enquanto estava nas mãos dos militantes do grupo, que começou a  considerar  a  possibilidade  de abandonar tudo. Foi  ai  que Luz disse algo que radicalizou o ministério  do  casal: “Eu prefiro ter  um esposo corajoso e  fiel  ao Senhor, mesmo que ele morra por amor a Jesus, a ter  um esposo covarde e que não esteja disposto a dar sua vida para a obra de Deus” .

O  pastor  Medardo  foi  confrontado e consolado por essas palavras e,  depois desse dìa,  o casal  passou a viver ainda mais intensamente para Jesus, alcançando  centenas  de  pessoas  em diversos  vilarejos  do municipio de Tierra Alta. Hoje, o casal criou o Instituto Bíblico Peniel,  um  seminário para formar novos líderes para a igreja rural da Colômbia. O curso é baseado em um modelo de internato. Luz leciona algumas das disciplinas do bacharel e trabalha intensamente como pastora e conselheira das muitas famílias  da região.  O  pastor Medardo diz abertamente que nunca  teria ido tão Ionge, se não fosse sua esposa valorosa.

Fonte: Revista Portas Abertas



Publicado por Pastor Claybom, pai apaixonado, nerd como marca de nascimento, geek por paixão, adorador por excelência. Enfim, um servo de Deus que tenta entender tudo o que Ele nos oferece no dia a dia.



3 Comentários para “Mulheres na Igreja Perseguida”

  1. Esse testemunho me impactou,pra orar pelo trabalho do Senhor,me fez perceber q não faço nada para Deus……..

  2. oro por esta causa, amo missoes, sou presidente de uma entidade evangelica, e intercedo e ajudo na medida do possivel por esta obra.

  3. TENHO NAS MINHAS ORAÇÕES PEDIDO A DEUS PELA IGREJA PERSEGUIDA E DESPREZADA. DEUS PROVERÁ A SUA JUSTIÇA. AMÉM!!!

Deixe seu Comentário