Page optimized by WP Minify WordPress Plugin

 Semana de ataque a redes sociais | Pastor Claybom
nav-left cat-right
cat-right

Semana de ataque a redes sociais

Neste último domingo 26/09/2010, o Twitter[bb]sofreu mais um ataque: dessa vez usaram um worm que foi rapidamente batizado de “WtfWorm” onde o usuário recebia uma mensagem[bb]: “WTF: [link]”. Ao clicar no link, o usuário publica duas mensagens no site: a primeira com a mesma mensagem que contém o link, e outro com a afirmação “i love anal sex with goats” (“eu amo sexo anal com cabras”). Só foi afetado quem estava logado no twitter.com, não usuários de serviços como o Tweetdeck, como faço por exemplo.

Na terça-feira (21) o Twitter já havia sofrido um ataque[bb]que, no caso, impediu a utilização do microblog. A falha explorada fazia com que, ao passar o mouse em cima de um código publicado por outro usuário, a interface ficasse bagunçada, espalhando o problema para outras pessoas. Já na quinta-feira (23), a rede social Facebook saiu do ar por duas horas e meia por conta de uma falha que sobrecarregou o banco de dados do site. No sábado (25), hackers exploraram uma falha no Orkut, fazendo com que mais de 185 mil usuários fossem infectados e levados para a comunidade “Infectados pelo vírus do Orkut[bb]“. Neste domingo (26), o YouTube sofreu um ataque que explorava uma falha do site, permitindo que hackers alterassem os títulos dos vídeos.

Por que esses ataques as redes socias? Lógico, pelo número de usuários[bb]que cada um tem, um worm ou qualquer outro tipo de vírus se espalha muito fácil pela grande rede. E tem outro fator importantíssimo: nas redes sociais, em geral, o usuário não entende muito (ou quase nada). Mas o que fazer nesse caso.

Algumas dicas para o usuário do twitter: Se  você notar alguma atividade suspeita em seu perfil como mensagens que você não enviou (possivelmente em inglês[bb]), muito provavelmente você está infectado. É muito importante que os usuários não retweetem nenhum dos falsos posts. Principalmente não abra nenhum link enviado para você se a fonte não relatar  precisamente do que se trata.

Limpe o cache de seu navegador e desative o JavaScript. Faça login no Twitter e delete todas as mensagens postadas automaticamente em seu perfil[bb] que sejam suspeitas. Você pode ativar de volta o JavaScript. Além disso, mudar sua senha de tempos em tempos pode ser uma boa medida de segurança.

Se for possível, evite usar a página do Twitter. Esses últimos Worms tem atacado falhas na própria webpage do Twitter.

Na verdade apenas o bom senso e o cuidado vão evitar que você se contamine[bb] na internet.

Fiquem com Deus!

Pastor Claybom



Publicado por Pastor Claybom, pai apaixonado, nerd como marca de nascimento, geek por paixão, adorador por excelência. Enfim, um servo de Deus que tenta entender tudo o que Ele nos oferece no dia a dia.



Deixe seu Comentário