Page optimized by WP Minify WordPress Plugin

 O cristão e os direitos de homossexuais | Pastor Claybom
nav-left cat-right
cat-right

O cristão e os direitos de homossexuais

Ontem, dia 5 de maio de 2001, o Supremo Tribunal Federal reconheceu os direitos adquiridos através da união estável entre casais do mesmo sexo no Brasil. Depois de muita polêmica criada entre ativistas radicais de ambos os lados, inclusive utilizando-se das redes sociais para lançar a discórdia.

Estava lendo um post no blog da minha amiga @aEvangelista e concordei em gênero, número e grau com tudo que ela disse – recomendo a todos que leiam.

Agora como ela mesma já falou: o que isso vai mudar na nossa vida? Nada, absolutamente nada! O que o STF fez foi simplesmente reconhecer os direitos adquiridos dessa união e dar-lhes os beneficíos provenientes disso como plano de saúde, pensão e etc. A homosexualidade já está presente a muito tempo, não é uma novidade pra ninguém.

Como eu mesmo já disse anteriormente em podcasts e posts sobre este assunto, Deus abomina o pecado mas ama imensamente o pecador e estará sempre de braços abertos para todos que O quizerem. Por acaso Deus nos ensinou a fazer acepção de pessoas? Nos ensinou que a salvação é para alguns escolhidos? Pelo amor dEle.. pensem!

Alguns líderes cristãos se engajaram em campanha para o não reconhecimento. Tudo bem… eles tentaram e perderam; levantam essa bandeira gritando imensamente que será o fim da célula máter da família. O que eu penso? Penso que minha bandeira é a Sagrada Escritura que eu defendo com todas as minhas forças. E que Cristo é a imagem que eu quero ter.

Se é assim, vamos ver o que a bíblia diz?

1º – “Amai-vos cordiamente uns aos outros com amor fraternal, preferindo-vos em honra uns aos outros” – Romanos 12:10. No epístola aos Romanos, Paulo nos admoesta que devemos amar uns aos outros com amor fraternal. Não posso excluir os homossexuais desse amor. Deus não exclui, por que eu excluiria?

2º – “Por isso também eu vos fiz desprezíveis, e indignos diante de todo o povo, visto que não guardastes os meus caminhos, mas fizestes acepção de pessoas na lei.” – Malaquias 2:9. O profeta aqui coloca que se é desprezível e indigno àqueles que fazem acepção de pessoas na lei do homem. Existe a lei, portanto se deve respeitar.

3º – “Porque eu não vim a chamar os justos, mas os pecadores, ao arrependimento.” – Mateus 9:13b. Jesus deixa bem claro para todos que Ele veio para proclamar a salvação a todos que O aceitem. Ninguém é excluído seja por opção sexual, raça, cor ou credo.

4º – “Disse-lhe, pois, a mulher samaritana: Como, sendo tu judeu, me pedes de beber a mim, que sou mulher samaritana? (porque os judeus não se comunicam com os samaritanos).” – João 4:9. Mais uma Vez Jesus prova que não deve existir barreiras. Ele mesmo provou isso ao falar com a mulher Samaritana.

Assim sendo, meus queridos, continuo me guiando pela palavra. E só me identifico com o Mestre Jesus. Se (então chamados) grandes pregadores resolvem lançar essas polêmicas, espero que eles sejam suficientemente humildes para reconhecer que Cristo não agiu dessa forma. Não vou me utilizar de hastags que sejam de baixo calão ou de termos ofensivos. Mais uma vez vou seguir o exemplo da amiga @aEvangelista e também não apoiarei o termo “xupa” por ser ofensivo.

E você meu amigo cristão? Você seguirá a bíblia ou seguirá o homem?

Graça e Paz!

Pastor Claybom



Publicado por Pastor Claybom, pai apaixonado, nerd como marca de nascimento, geek por paixão, adorador por excelência. Enfim, um servo de Deus que tenta entender tudo o que Ele nos oferece no dia a dia.



Um Comentário para “O cristão e os direitos de homossexuais”

  1. Mi disse:

    Mesmo que haja união legal entre homosexuais, não vai deixar de haver a família. Sou a favor que as pessoas vivam felizes. A felicidade é uma coisa pra mim e outra coisa para você ou para a pessoa que senta do seu lado no ônibus. Acredito que as pessoas tem que fazer campanhas e divulgações em assuntos mais graves: não largar seu filho em um entulho de lixo, por exemplo…

Deixe seu Comentário