Page optimized by WP Minify WordPress Plugin

 Estudo sobre a edificação | Pastor Claybom
nav-left cat-right
cat-right

Estudo sobre a edificação

Adorando e edificando nossas vidas ao Pai.“Ora, Como recebestes o Senhor Jesus Cristo, assim andai Nele, Nele radicados,
e edificados, e confirmados na fé, tal como fostes instruído, crescendo em ações de graças”

Colossenses 2:6-7

Para falar sobre edificação, dividi em três tópicos, primeiramente:

1- LER E OUVIR A VERDADEIRA PALAVRA
Nesse texto trocando-se “em miúdos”,  fala-se em se edificar em Cristo, prestar atenção ao que se escuta por aí para não ser levado por falsas doutrinas e o irmão Paulo desejava um progresso espiritual dos colossenses, queria que eles estivessem alicerçados não só na letra, ao que a lei mandava, mas que suas mentes estivessem em Jesus. Nos dias de hoje existem pessoas que são escravas da religião, em detrimento ao cumprimento da verdadeira Palavra de Deus e, temos como exemplo as religiões que levam ao autoflagelo, que teve início como uma cura para as desgraças do mundo, pode? Será que Jesus morreu na cruz do calvário para nos cobrar ainda penitências? Ouvimos também sobre alguns líderes religiosos que urinam em locais para demarcar seu espaço. Muitos líderes religiosos ditam regras que não estão na bíblia, que é o nosso guia de conduta e prática e, se aproveitam de pessoas que não conhecem a palavra de Deus, para ditarem suas próprias regras. Portanto, somente lendo a verdadeira palavra de Deus, não seremos enganados.

2 – CRIAR RAÍZES EM CRISTO
Precisamos entender que só seremos fiéis à Palavra de Deus, quando criarmos raízes no verdadeiro evangelho, quando entendermos que Jesus é presente, é verdadeiro, é face a face. Não basta estar somente buscando a Jesus, precisamos nos manter Nele.
Não basta conhecer Jesus, admirá-lo, mas é preciso viver Nele.
Precisamos estar enraizados na verdadeira Palavra que liberta, que dá vida eterna, que salva. Somente criando raízes em Jesus, poderemos estar edificados. Assim, não nos abalaremos com as mais diversas situações, pois estaremos alicerçados, saberemos que passaremos pelas provas, mas que o Senhor estará sempre ao nosso lado.

3 – ESTAR EM CONSTANTE CONSTRUÇÃO
A edificação também tem o sentido de construir, significando que após a conversão, estamos em constante construção, que aceitando a Cristo, apenas se inicia esse processo, que deve evoluir a cada dia com o auxilio do Espírito Santo. Portanto, não se acomode por ser um convertido, freqüentar a igreja, ser batizado, queira mais intimidade com Cristo, pois só se freqüenta a casa de alguém quando se tem intimidade!
Para isso, não podemos parar naquele primeiro encontro com Jesus, mas esse deve ser o começo para mudanças em nossas vidas. Devemos buscar o nosso batismo no Espírito Santo, todavia não adianta chorarmos em Sua presença, sapatearmos, falarmos em línguas, subirmos montes e, continuarmos iguais, sem mudanças, sem chamarmos a atenção do Pai. Existem pessoas que conseguem  durante muito tempo, que outros nem desconfiem que ele é evangélico. Existem pessoas que só são crentes dentro das igrejas, mas que às Sextas-feiras estão em barzinhos, discotecas, mikaretas, curtindo a vida com coisas mundanas. Isso é falta de intimidade! O diabo não brinca de ser diabo, mas muitos brincam de ser crentes.

Devemos nos edificar e, para nos mantermos edificados precisamos de avivamento. Veja:

“Tenho, porém, contra ti que abandonaste o teu primeiro amor. Lembra-te, pois, de onde caíste, arrepende-te e volta à prática das primeiras obras; e, se não, venho a ti e moverei do seu lugar o teu candeeiro, caso não te arrependas.”  Ap2:4-5

PRECISAMOS VOLTAR AO PRIMEIRO AMOR E ÁS PRIMEIRAS OBRAS
João entregou às 7 igrejas da Ásia as revelações de Jesus Cristo através de cartas escritas por ele e, a primeira a receber a carta foi a cidade de Éfeso. Com muito amor, Jesus elogiou, advertiu e exortou a igreja de Éfeso. Essa igreja foi elogiada, pois falsos mestres tentaram desviar a igreja, e ela manteve-se firme em sua doutrina e perseverança, porém o Senhor a advertiu, pois faltava o PRIMEIRO AMOR. Eles sabiam da lei, o que a palavra dizia, mas não tinham mais o amor. Essa igreja tinha que se arrepender e voltar a ter um amor fervoroso pelo Senhor Jesus Cristo. Senão houvesse arrependimento, Deus destruiria aquela igreja.

Devemos ir à igreja para adorar ao Senhor, pois a adoração ao Senhor, gera uma profunda intimidade com Deus a ponto de trazer a vida do adorador uma edificação pessoal que o tornará avivado, renovado, cheio do Espírito Santo, pleno em unção e amor.
Devemos voltar à prática das primeiras obras, não deixar aquela chama do começo apagar, não devemos nos aposentar da fé. As igrejas hoje tem prata e ouro, mas não podem dizer “levanta-te e anda!”, pois perderam a autoridade dada pelo Senhor Jesus Cristo.
Antigamente, íamos aos hospitais e víamos crentes “batendo cabeça”, pois eram muitos e em todo canto havia um grupo orando, igualmente nos presídios, levando aos portões. Que pena, os crentes saíram das ruas, dando lugar para os demônios.

O CORPO DE CRISTO PASSA POR UMA CRISE ESPIRITUAL
Hoje falta às igrejas (corpo de Cristo), um genuíno avivamento. Foi um problema naquela época e é nos dias atuais. Época de crise, passamos por crise financeira, somos assolados com tantos impostos, mas não falo de crise  financeira, falo de crise espiritual. Nunca se experimentou na igreja uma crise espiritual tão medonha. A igreja precisa de um avivamento em sua liturgia, teologia, no trato com os outros.
Precisamos que se levantem líderes e adoradores avivados que façam realmente diferença numa nação desanimada e morna, que realmente superem as expectativas de um público sedento e faminto.
Ouço músicas falando em avivamento, mas onde está o verdadeiro avivamento?
Estamos vivendo em tempos de sonolência espiritual e Deus grita:  ” Desperta quem dorme!” Estamos quase mortos, indo aos cultos, cumprindo todos os rituais, mas dormindo.

CUIDADO COM O ATIVISMO
Outro  fator que a muito tempo venho observando e, que foi confirmado através de um estudo em aula, é que o ativismo tem sido um vilão para a falta de avivamento. A motivação para se estar na casa do Senhor tem sido trocada por obrigações, tarefas e escalas. Não falamos mais que vamos para adorar ao Senhor em comunhão com outros irmãos, mas que temos uma escala a cumprir. Não escutamos a palavra, pois temos muitos afazeres e, como são poucos os trabalhadores, estamos sempre  ” na escala” . Não confunda ativismo com avivamento e, por favor não entreguem seus cargos após lerem isso! Mas acima de qualquer escala, se preocupem em se edificar, receber forças de Deus para cuidar de almas que se perdem todos os dias, enquanto cumprimos escala de trabalho.

Existem casos de pessoas que vão em outras igrejas para “receber” , pois não conseguem isso na sua igreja. Portanto, se o seu caso é parecido, cuidado! Estamos aqui para glorificar o nome do Senhor, primeiramente.

O AVIVAMENTO PROMOVE MUDANÇAS EM NOSSAS VIDAS
Ouvimos muito se falar em avivamento e, normalmente quando se fala em avivamento, logo se pensa em encontros de crentes,  “cheios de poder”  falando em línguas, tendo revelações, curas, clamor, mas não é esse tipo de avivamento que nos fará aprovado pelo Senhor.

Vemos pessoas pregando o avivamento, mas não vivendo o que pregam, pois o avivamento traz mudanças. Em Reis 18 fala-se em “quebrar o altar para depois consertar”. Não há avivamento sem que haja restauração. Nos desviamos do primeiro amor, não nos enraizamos e não podemos nos edificar, ao primeiro vento, cairemos.

As pessoas precisam olhar para nós e vê a diferença. O avivamento não está nas mãos dos políticos, da polícia, da economia, mas nas mãos da igreja, pois não vivemos por circunstâncias, mas pela fé.

ASPECTOS IMPORTANTES PARA O AVIVAMENTO
Não podemos imaginar um genuíno avivamento, que não passe especificamente por três importantes aspectos da vida cristã que é a oração, santidade e o arrependimento.

1 – Oração – Não podemos pensar em edificação, avivamento, sem que isso seja resultado de oração. Se não buscarmos oração não teremos avivamento, se não buscarmos oração não termos edificação. Somente através da oração seremos inabaláveis na fé.

2 – Santidade – Criando raízes em Jesus, viveremos em santidade. Isso é viver separado para Deus, é permanecer num estado de consagração. Aos olhos do mundo tudo é normal e comum, mas na igreja não, ela deve ser a coluna da moralidade. Depois que o diabo inventou o “nada haver”, tudo pode, tudo convém, nada incomoda. Todavia não é para medir santidade através do tamanho das roupas, dos cabelos, ou coisa parecida, mas pela conduta e ética cristã.

3 – Arrependimento – O arrependimento é sentir a dor que causamos em Deus com os nossos pecados, é abandonar a vida pecaminosa, é mudar de atitude, é renunciar a vontade própria e viver guiado pelo Espírito Santo, que nos convence do pecado. Quem vive no pecado, vive de emoções, não de experiências com o Espírito Santo.

Portanto, não basta ser firme em doutrinas, pois um descrente pode saber muito mais de teologia do que um crente que tenha muitos anos na igreja. Na igreja de Éfeso, a apostasia vinha tomando rumo tão firme, que os filhos não provaram aquele mesmo entusiasmo em receber o evangelho, porque não criaram raízes em Jesus.

Conclusão: Para estarmos edificados, precisamos nos enraizar na Palavra de Deus e nos manter avivados de tal maneira que mudanças acontecerão em nosso ser e serão perceptíveis a todos que nos rodeiam. Precisamos ter como arma para o desânimo espiritual a oração, buscar viver em santidade e nos arrepender de nossos pecados.

Precisamos voltar ao primeiro amor, voltar às práticas das primerias obras, pois o Senhor Jesus tem para nós o paraíso e a vida eterna. Tenha Perseverança naquele que morreu por você!

Li uma ilustração que gostei muito e, gosto muito de usar ilustrações em minhas pregações, veja como essa se encaixa em muitos aspectos conosco:

OLHANDO O MUNDO POR OUTRA JANELA

Precisamos encarar as circunstâncias como uma lição de aprendizado sempre. Ficamos presos a situações por só olharmos por um lado. Perguntamos muito para Deus: “por quê?” , ao invés de “Pra quê?”

Existe uma ilustração que conta à história de uma menina que tinha um cãozinho e, que todos os dias quando voltava da escola, olhava pela janela para ver seu cão brincar.
Certo dia soube da trágica notícia que seu cão havia sido atropelado e passou dias e dias olhando pela janela na esperança de vê-lo brincar. Até que seu pai com o coração partido de ver a filha assim, tomou-a nos braços e disse: -Filha, lá em nosso jardim nasceu uma linda flor. Venha, olhe pela outra janela!

Assim é a nossa vida: com muitas janelas onde contemplamos muitas paisagens. Todavia, ficamos presos a uma só janela, não vemos nada ao nosso redor.

Ficamos presos à janela do ressentimento, temos amargura e profundo desencanto. Feche essa janela e perdoe!

Ficamos presos à janela do medo, vemos somente os perigos, os obstáculos. Feche essa janela e tenha coragem!

Ficamos presos à janela do passado, não mudamos nossos conceitos e não vemos o futuro. Feche essa janela e tenha esperança!

Ficamos presos à janela do desânimo, do conformismo e não temos força apra lutar por mudanças. Feche essa janela e rompa!

Mude de janela e enxergue Deus! Talvez Ele esteja do seu lado naquela flor que nasceu e que você nem percebeu, pois você estava escravo de uma só janela!

Adriana Sardinha
Seminarista

‘Quando Deus quer fazer algo maravilhoso, Ele começa com uma dificuldade;
quando Ele quer fazer algo muito maravilhoso, Ele começa com uma impossibilidade.’
Charles Inwood



Publicado por Pastor Claybom, pai apaixonado, nerd como marca de nascimento, geek por paixão, adorador por excelência. Enfim, um servo de Deus que tenta entender tudo o que Ele nos oferece no dia a dia.



Deixe seu Comentário